De acordo com amostra de cerca de 35 milhões de entrevistas coletadas em seis anos pelo IBGE, o número de casais homoafetivos que moram juntos no Brasil cresceu 170% em cinco anos.

O levantamento diz ainda que a renda média de indivíduos que compõem casais homoafetivos é 65% maior do que a dos chefes de família heterossexuais, que, por sua vez, têm três vezes mais filhos morando com eles. Uma combinação, segundo o economista Marcelo Nery, que potencializa o chamado “consumo gay”.

Hoje, segundo levantamento da FGV social, são 304 mil pessoas. Embora agora haja a mesma quantidade de casais masculinos e femininos morando juntos, o crescimento deles foi maior: 226% em cinco anos.




ATENÇÃO: Essa notícia possui caráter ficcional, com finalidade única de entretenimento. Nada contido aqui deve ser levado enquanto verdade, qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência.